Início >> Polo Amazônia Atlântica

Polo Amazônia Atlântica

 

O Polo Amazônia Atlântica é formado por municípios da Região de Integração Guamá, da Região de Integração Capim e da Região de Integração Caeté. São 49 municípios com atrativos turísticos. Na Região de Integração Guamá temos os municípios de Castanhal, Colares, Curuçá, Igarapé-Açu, Inhangapi, Magalhães Barata, Maracanã, Marapanim, Santa Izabel do Pará, Santa Maria do Pará, Santo Antônio do Tauá, São Caetano de Odivelas, São Domingos de Capim, São Francisco do Pará, São João da Ponta, São Miguel do Guamá, Terra Alta e Vigia.

Na Região de Integração Capim encontramos os municípios de Aurora do Pará, Abel Figueiredo, Capitão Poço, Dom Eliseu, Garrafão do Norte, Irituia, Ipixuna do Pará, Mãe do Rio, Nova Esperança do Piriá, Ourém, Paragominas, Rondon do Pará, Ulianópolis, Bujaru, Concórdia do Pará e Tomé-Açu.

A Região de Integração Caeté é formada pelos municípios de Augusto Corrêa, Bragança, Capanema, Nova Timboteua, Peixe-Boi, Primavera, Quatipuru, Salinópolis, Santarém Novo, São João de Pirabas, Tracuateua, Viseu, Santa Luzia do Pará, Bonito e Cachoeira do Arari.

Localizado no nordeste paraense, o Polo Amazônia Atlântica corresponde a faixa do litoral Atlântico do Estado. A faixa é protegida da descarga das águas barrentas do rio Amazonas e pela vazão do rio Pará; constituindo-se na maior e mais estruturada área turística de sol e mar da Amazônia Brasileira.

A história se faz presente na estrutura urbana e arquitetura de algumas cidades, em construções que resistem ao tempo (em Vigia e Bragança), e nas tradições e manifestações da cultura viva, como o carimbó, a marujada e o bumba meu boi. O patrimônio ambiental apresenta peculiaridades: o encontro da Floresta Amazônica com o Oceano Atlântico cria um cenário próprio, com características específicas. Nos campos alagados, no período das chuvas, se verifica a incidência de espécies colonizadoras, com predominância de palmeiras, inclusive nas matas ciliares (ao longo dos cursos de rios e igarapés).

O Polo Amazônia Atlântica conta com estrutura turística, gera demanda e é reconhecido como destino consolidado no mercado do Pará e dos estados fronteiriços, sendo a praia de mar a principal motivação do turista que frequenta a região, tendo como principais exemplos Bragança e Salinópolis.

Mas a praia não é a oferta exclusiva do polo. Em Salinópolis e São Caetano de Odivelas, a pesca esportiva é apontada como alternativa para ampliar o fluxo turístico dos municípios.

Bragança, conhecida como a Pérola do Caeté, apresenta diversidade de atrativos culturais (como a Festividade da Marujada e outras manifestações populares). O conjunto arquitetônico de Bragança a diferencia das demais cidades do nordeste paraense, além dos atrativos naturais, como a praia de Ajuruteua e os balneários de água doce.

Marapanim, como atividade turística, possui praias de grande beleza e manifestações folclóricas significativas, com destaque para o carimbó. O município de Marapanim é o berço do carimbó no Estado.

Curuçá apresenta abundância em atrativos naturais diversos, como ilhas, furos, lagos e a praia da Romana.

No município de Maracanã, o destaque fica com o visual paradisíaco da ilha de Algodoal, dentre outros distritos como Mocooca, Bacabal e Fortalezinha.

Rota Turística Belém-Bragança – é uma das opções de lazer e turismo que conta a história da extinta Estrada de Ferro de Bragança, empreendimento ferroviário que remete ao Ciclo da Borracha (final do século XIX e início do século XX). A ferrovia foi decisiva para o desenvolvimento do Pará. Hoje, a rota rodoviária proporciona recantos de águas calmas em igarapés, rios e praias; além do patrimônio histórico a céu aberto e manifestações culturais autênticas. Ao percorrer os 223 km da rota, o visitante tem acesso à produção agrícola dos municípios, com alimentos e sabores típicos do estado; produção associada ao turismo e canal de comercialização e visibilidade para a localidade que produz. No Polo Amazônia Atlântica, a rota Belém-Bragança percorre os municípios da Região de Integração Guamá (Santa Isabel do Pará, Castanhal São Francisco do Pará e Igarapé-Açu) e da Região de Integração Caeté (Nova Timboteua, Peixe-Boi, Capanema, Tracuateua e Bragança).

 

Inventário Turístico:

• Augusto Corrêa (Visualizar)

• Bragança (Visualizar)

• Bonito (Visualizar)

Capanema (Visualizar)

• Castanhal (Visualizar)

• Colares (Visualizar)

• Curuçá (Visualizar)

• Dom Eliseu (Visualizar)

• Igarapé-Açu (Visualizar)

 Irituia (Visualizar)

Magalhães Barata(Visualizar)

 Maracanã (Visualizar)

• Marapanim (Visualizar)

• Nova Timboteua (Visualizar)

• Ourém (Visualizar)

• Paragominas (Visualizar)

• Peixe Boi (Visualizar)

• Rondon do Pará (Visualizar)

• Salinópolis (Visualizar)

• Santa Bárbara do Pará (Visualizar)

Santa Luzia do Pará (Visualizar)

• São Caetano de Odivelas (Visualizar)

• Santa Izabel do Pará (Visualizar)

• São Maria do Pará (Visualizar)

• São Francisco do Pará (Visualizar)

• São João de Pirabas (Visualizar)

• São Miguel do Guamá (Visualizar)

• Tracuateua (Visualizar)

• Ulianópolis (Visualizar)

• Vigia (Visualizar)